quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Mensagem à P. Stephano.


Seja minha blindada cúpula envoltória e então solicitarei-lhe que atue em minha proteção. Livre-me dos ventos e palavras, das águas e malícias que a nossa volta rondam... Mais, mais que agora, mais que antes, mais que ontem . Certa vez, Deus disse que você era meu anjo e, por crer na palavra da luz, acreditei . E acredito.
Dos fragmentos que restaram, você é parte que se mantém inteira meu amor.


Um comentário:

joyce domingos disse...

de fragmentos em fragmentos que li de teu belo espaço,vim parabenizar-te.

Minha prima Ana recomendou teu blog e cá estou....e muito encantada com tão belos posts....

meu preferido sem sombra de dúvidas:


''Eu queria ser o Mar de altivo porte
Que ri e canta, a vastidão imensa!
Eu queria ser a Pedra que não pensa,
A pedra do caminho, rude e forte!
Eu queria ser o Sol, a luz intensa,
O bem do que é humilde e não tem sorte!
Eu queria ser a árvore tosca e densa
Que ri do mundo vão e até da morte!
Mas o Mar também chora de tristeza…
As árvores também, como quem reza,
Abrem, aos Céus, os braços, como um crente!
E o Sol altivo e forte, ao fim de um dia,
Tem lágrimas de sangue na agonia!
E as pedras… essas… pisa-as toda a gente!''

um belo texto com algo de entrega e profundidade,belíssimas palavras que me hipnotizaram...

um beijo....

voltarei aqui mais vezes!!