domingo, 25 de abril de 2010

Ambíguo.



Pensei novamente em como seriam teus
olhos adormecidos e me estatizei.

Senti minhas palmas acariciarem tua face, deslizarem pelos cabelos, singelosamente.

Te observara com tanta vivacidade, que
era capaz de reconhecer

meus gélidos dedos acalorando-se e
imediatamente lhe assemelhei à
algum tipo pilha, tomada ou qualquer outro
meio de energia.
Era o que nosso contato me causava. Vigor
.
Sua pele tão veludínea me fazia querer ficar,
me dava
anseios e até eu seria capaz de lhe devorar!

Sem promiscuidade, por favor.

Devoraria teu amor, teus abraços e teus olhares

e devoro,
a cada vez que você se dirige a mim com aquele
sorriso
lhano me aflingindo, me tirando do lugar, me fazendo
querer
consumir toda sua boca de forma delgada e parasita.

Quero sugar você, quero sugar seu coração.
E quero que você faça o mesmo comigo.

Espero que não seja pedir muito.

2 comentários:

Unclosed Desires disse...

Acho seus textos lindos, parabéns *-*
Passo sempre por aqui. rs

Luiza de Oliveira. disse...

Ainda sim que fosse pedir muito, não seria demais.