sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Azul, anil.


Não sei se tenho alguma espécie de ligação com o tempo, mas se o céu começa a pintar-se de cinza meu humor o faz também. Não costumo compartilhar tal sensação com pessoas pelo fato delas pensarem ser frescura minha e só mais um motivo pra reclamar da vida (que apesar de não dizerem ao pé da letra, é o que leio em seus olhos). Um riso de canto, a cabeça rapidamente inclinada pra baixo, olha pro lado e pronto, conversou sem nem ao menos perceber, sem sequer pronunciar uma palavra cheia. Será que é normal? Na verdade, o que é normal, além de um padrão não é!? O que quero dizer é ''Será que é comum?'', não é possível que num mundo com tanta gente só eu nasci ''premiada''!
Olhando pelo lado poético e reflexivo da situação, chega a ser bonito...Sou apaixonada por natureza e tenho um sentimento muito ruim por aqueles que a destroem. Desde criança gosto de admirar o céu bem azul e tenho medo de chuva, raios e trovões. Entendo chuva como ''choro'', raios como ''poder'' e trovões como ''gritos'' ou ''apelos''... Vai ver que escrevendo, eu descobri não só qual a ligação, mas que ela vem comigo desde a infância. É um início.
Gosto de textos intensos e hoje achei ''fraco'' o que escrevi, mas era algo que precisava dizer.
Lembre-se de não me exigir nada sem antes consultar o céu, que hoje, por sinal, está melancólico.
Vamos lá, o dia já tá quase acabando, amanhã vai melhorar.

Vai sim..

2 comentários:

camila souza. disse...

morro de medo de raios :S

lara lorenzoni disse...

"Lembre-se de não me exigir nada sem antes consultar o céu"

muito bonito isso.