sábado, 28 de novembro de 2009

Utopia concreta.

''Teus beijos descarnados
Há de me tocar perenemente
E os teus, ah, os teus...
Há de me embalar numa dança frívola
Onde os demônios do desejo
Aplaudam nossos gozos
Nosso roçar de corpos úmidos
Há de descer a Terra o escultor de tais
Ah, de tais...
E regozijar-se-á da perfeição da tua cor
E conosco valsar
A marcha nupcial que há de adoçar
Em muito mais
O sabor de tais, ah, de tais...
Nosso entrelaçar de olhares
Há de ultrapassar as barreiras
Do existencial
Há de emergir de ambas as almas
O líquido temporal do prazer absoluto
Cônjuge.
Com as bocas unidas
Rumo ao horizonte enluarado
E os punhos tatuados
Pelas veias conjuntas
E no dorso de cada mão
As tuas mãos
E os teus, ah, os teus...
Os teus nos meus se deitar
E entre meus dedos
A carne fértil
Dos teus, ah, dos teus...
Teu hálito há de me purificar
Por todo o sempre
E os teus, ah, os teus...
Tornar-se-ão
Meu mais supremo capricho
O engenho mais sublime
E hei de embriagar-me de paz
Já que a paz
Abriga-se no teu peito
Ah, nos teus... ''

Um comentário:

disse...

íncrivel Lett :)
Menina, já te vi várias vezes aqui em BH e vc conhece um monte de amigas minha (Paulinha, Flávia, Manu... )
Beijão!